Avançar para o conteúdo

Escolha Inteligente: Decidindo entre o Moto Razr 40 Ultra e o Galaxy Z Flip5 – Qual Combina com Você?

Decidindo entre o Moto Razr 40 Ultra e o Galaxy Z Flip5 – Qual Combina com Você? Teste do Guia de Compras explora a performance de smartphones de tela ampla na parte externa do dispositivo, permitindo uma variedade de atividades, como capturar selfies com o telefone dobrado e trocar mensagens.

Os recentes lançamentos, Moto Razr 40 Ultra da Motorola e Galaxy Z Flip5 da Samsung, pertencem à mais nova geração de dispositivos dobráveis.

Estes aparelhos são definitivamente inovadores: o Razr 40 Ultra já está disponível para compra desde junho, enquanto o Z Flip5 chegará às lojas nesta semana.

Em comparação com modelos anteriores, esses novos dobráveis possuem uma vantagem: os recursos podem ser acessados mesmo com os telefones fechados.

As telas externas são espaçosas e permitem a execução de várias tarefas, mesmo quando os aparelhos estão dobrados. É possível jogar sem abrir o telefone e tirar selfies usando a câmera principal.

No entanto, esses dispositivos dobráveis apresentam algumas desvantagens, como duração de bateria mais curta em comparação com celulares convencionais e recursos limitados de câmera devido à restrição de espaço.

Além disso, os preços elevados colocam esses modelos na mesma faixa de dispositivos de alta qualidade, embora com funcionalidades menos abrangentes.

O Guia de Compras submeteu os dois dobráveis a testes, considerando que, como os telefones premium, esses modelos são mais caros, com preços em torno de R$ 8.000, de acordo com lojas online consultadas em agosto.

A seguir, apresentaremos as principais especificações técnicas de cada dispositivo (Razr, Galaxy), seguidas dos resultados dos testes (design e tela externa, desempenho, 5G, bateria e câmeras), concluindo com uma análise geral.

Motorola Razr 40

O Motorola Razr 40 Ultra representa uma evolução do primeiro dispositivo dobrável lançado pela marca no final de 2019, buscando evocar a nostalgia dos celulares Razr dos anos 2000.

Imagem Reprodução Motorola
Imagem Reprodução Motorola

O aparelho possui uma configuração técnica sólida, embora não seja a mais recente, e oferece uma duração de bateria ligeiramente superior à do Galaxy Z Flip5 – com quase 1 hora a mais.

A tela externa do Razr 40 Ultra permite o uso do telefone mesmo quando fechado, possibilitando a execução de aplicativos, resposta a mensagens, atendimento de chamadas e até mesmo jogos.

O Razr 40 Ultra estava à venda por cerca de R$ 8.000 em agosto, na versão com 256 GB de armazenamento interno.

Samsung Galaxy Z Flip5

Por outro lado, o Samsung Galaxy Z Flip5 possui especificações técnicas mais avançadas que o dobrável da Motorola, incluindo um processador mais recente e ligeiramente mais rápido.

Imagem reprodução Samsung
Imagem reprodução Samsung

No entanto, a bateria do Galaxy Z Flip5 é menos eficiente em comparação com a do modelo da Motorola.

Embora a tela externa tenha aumentado em relação ao Galaxy Z Flip4, ela ainda é um pouco menor do que a do Razr 40 Ultra.

Essa tela externa do Galaxy permite mostrar notificações e configurar atalhos para funções rápidas, como ativar o Wi-Fi ou alternar entre músicas. O uso de aplicativos, no entanto, é limitado e considerado experimental pelo fabricante.

O Galaxy Z Flip5 estava disponível por R$ 8.000 em sua versão com 256 GB de armazenamento, enquanto o modelo com 512 GB tinha o preço de R$ 9.000.

Design e Tela Externa

Quando fechados, os dois celulares dobráveis aparentam ser semelhantes, apresentando blocos quadrados um pouco espessos. As diferenças tornam-se evidentes ao ativar a tela externa.

Ambos possuem 15,1 mm de espessura quando fechados e 6,9 mm com a tela aberta – mantendo a mesma espessura quando dobrados. Com a tela aberta, o Motorola é maior em tamanho que o Samsung.

Nas gerações anteriores, os dispositivos da Samsung exibiam uma abertura maior na parte da dobra e eram mais fechados nas extremidades. Entretanto, esse problema foi resolvido com o Z Flip5.

O Moto Razr 40 Ultra possui a maior parte de sua frente ocupada pela tela externa, que começa logo acima da dobra e se estende até acima das lentes da câmera.

Essa tela de 3,6 polegadas é completamente funcional e permite a execução de todos os aplicativos instalados no telefone. No entanto, é necessário selecionar quais aplicativos aparecerão nessa área. Essa funcionalidade possibilita responder a e-mails, enviar mensagens pelo WhatsApp e utilizar redes sociais favoritas sem limitações.

Além disso, a tela externa exibe contatos favoritos, agenda, previsão do tempo, jogos e oferece uma interface de controle específica para o Spotify, serviço de streaming de música.

O Galaxy Z Flip5 também possui uma tela externa espaçosa, com 3,4 polegadas.

Entretanto, diferentemente do Razr, ela não é completamente funcional. É possível utilizar aplicativos, desde que sejam aqueles permitidos para instalação “fora” do telefone, de acordo com a seleção da Samsung.

As opções de aplicativos são limitadas, incluindo Google Maps, Mensagens, Netflix, YouTube e WhatsApp. Por exemplo, o Facebook, que já vem pré-instalado no aparelho, não pode ser utilizado na tela externa.

A tela externa do Galaxy também oferece widgets, que são blocos de informações rápidas.

Esses widgets exibem notificações de e-mail e mensagens, entre outros, e permitem o controle da reprodução de músicas e podcasts, ajustar alarmes, ativar um gravador ou temporizador, bem como visualizar a agenda do dia.

Ambos os dispositivos dobráveis permitem capturar selfies com a câmera principal do aparelho, o que é uma função divertida.

No uso diário, a tela externa mais ampla é bastante prática, pois não é necessário abrir o telefone para visualizar mensagens ou digitar e-mails.

No entanto, é importante observar que o espaço é limitado em ambos os aparelhos – o teclado ocupa grande parte da tela e as teclas são pequenas. Portanto, não é recomendado utilizar essa área do telefone para escrever e-mails longos, por exemplo.

Desempenho

Apesar de serem lançamentos recentes, os dois smartphones possuem diferenças em seus processadores, que têm uma diferença de um ano em termos de geração.

O processador Qualcomm

Snapdragon 8+ Gen 1, presente no Razr 40 Ultra, foi anunciado no final de 2021 e era a principal escolha para os celulares premium no ano anterior.

Por outro lado, o Galaxy Z Flip5 é equipado com um processador Snapdragon 8+ Gen 2, que é a versão mais recente lançada pela Qualcomm. Esse chip é utilizado em diversos celulares de várias marcas em 2023, incluindo a Samsung (veja o teste do Galaxy S23 Ultra).

Ambos os smartphones possuem 8 GB de RAM. Quanto maior a quantidade de memória RAM, melhor o desempenho do dispositivo. Isso não deve ser confundido com o armazenamento interno do aparelho, que abriga o sistema operacional, aplicativos e dados do usuário.

Nos testes de desempenho, que simulam o uso cotidiano do celular, o resultado foi mais favorável para o dobrável da Samsung, apresentando pequenas melhorias na performance em comparação.

De qualquer forma, nenhum dos dispositivos travou ou apresentou lentidão durante o uso. O dispositivo da Motorola, contudo, exibiu um erro na tela externa, que apresentou piscadas. A reinicialização resolveu o problema.

Nos testes gráficos, que avaliam como os dispositivos lidam com jogos e vídeos, o resultado também foi mais favorável para o celular da Samsung.

Vale ressaltar que, para jogos, a tela do Razr 40 Ultra possui configurações superiores à do Galaxy Z Flip5, com uma taxa de atualização de 165 Hz na tela interna (e 144 Hz na externa).

Por outro lado, o concorrente possui uma taxa de atualização de 120 Hz na tela interna e 60 Hz na externa.

A taxa de atualização indica quantas vezes a tela é atualizada por segundo, proporcionando imagens mais suaves e melhorando o desempenho em jogos mais exigentes.

Em um teste sob a luz solar, as telas do Samsung ativaram automaticamente um modo de brilho adicional, tornando o conteúdo mais legível.

Por outro lado, a tela externa do Motorola funcionou melhor do que a tela interna, que se mostrou bastante escura, mesmo com o brilho no máximo.

5G

Os resultados da avaliação da velocidade 5G foram bastante semelhantes para ambos os celulares, atingindo cerca de 580 Mbps para download.

No caso do upload, o Razr apresentou um desempenho superior (99 Mbps) em relação ao Galaxy (68 Mbps).

Os resultados dos testes com 5G são influenciados por vários fatores, incluindo a qualidade do sinal, a distância da antena 5G, se o 5G é puro (conhecido como standalone) ou compartilhado com a rede 4G (chamado de non-standalone) e se o celular está sendo utilizado em ambiente interno ou externo.

Bateria

A capacidade da bateria em smartphones dobráveis é menor do que a de celulares tradicionais. Isso ocorre porque esses aparelhos costumam ter uma parte da bateria em cada metade do dispositivo.

O Galaxy Z Flip5 possui uma capacidade de bateria de 3.700 mAh (miliampère-hora). Já o Razr 40 Ultra possui uma capacidade de bateria de 3.800 mAh.

Para comparação, um Galaxy S23 Ultra possui uma capacidade de bateria de 5.000 mAh.

Nos testes realizados, o Moto Razr 40 Ultra apresentou uma duração de bateria quase uma hora maior (10h30) em relação ao Z Flip5 (9h40) na estimativa de duração.

Se o Moto Razr 40 Ultra fosse utilizado apenas com a tela externa, a duração da bateria poderia chegar a 16 horas. Esse resultado foi obtido em uma situação de uso improvável para o telefone e não pôde ser replicado na tela externa do Z Flip5.

Câmeras

Apesar de serem dispositivos caros, os smartphones dobráveis não possuem câmeras de destaque em comparação com modelos ainda mais caros.

Isso ocorre devido à limitação de espaço causada pela engenharia dos fabricantes, que priorizam a tela dobrável em detrimento de recursos como o zoom óptico.

Apesar das limitações, as câmeras do Razr e do Z Flip5 apresentaram desempenho satisfatório na câmera principal – ambos possuem sensor com resolução de 12 megapixels, conforme pode ser observado nas galerias abaixo:

Apesar da resolução semelhante, os resultados das câmeras são comparáveis aos obtidos em câmeras de smartphones de ambas as marcas.

As imagens capturadas pelo Moto Razr 40 Ultra apresentam uma tendência a cores mais frias. Por outro lado, as imagens obtidas pelo Z Flip5 possuem tonalidades mais quentes, com o azul do céu mais destacado.

Apesar da ausência de zoom óptico, ambos os dispositivos possuem zoom digital.

Com um smartphone dobrável, é possível tirar selfies de duas maneiras: utilizando a tela externa como visor para a câmera principal ou utilizando a câmera interna, como em qualquer telefone convencional.

Nesse contexto, as selfies podem ser capturadas com resolução de 12 megapixels – equivalente à resolução da câmera principal – ou com 32 megapixels no Moto Razr 40 Ultra, e 10 megapixels no Galaxy Z Flip5, utilizando a câmera localizada na parte superior da tela.

Conclusão

QUAL ESCOLHER? Ao levar em consideração o desempenho e grande parte das especificações, o dispositivo dobrável da Samsung se destaca por sua potência em relação ao da Motorola.

No entanto, no uso diário, o Razr 40 Ultra possui a vantagem de permitir o uso de qualquer aplicativo instalado no telefone. O Galaxy Z Flip5 é mais restrito nesse aspecto.

As câmeras em ambos os dispositivos apresentam resultados bastante semelhantes, ambos executam a versão mais recente do Android (versão 13) e os preços são comparáveis, situados na faixa de R$ 8.000.

A escolha do consumidor deve ser feita considerando o design e as funcionalidades de cada modelo. Segundo o Guia de Compras, o Razr 40 Ultra é a escolha preferida devido à tela externa, enquanto o Galaxy Z Flip5 se sobressai pelo desempenho.

VALE A PENA TER UM DISPOSITIVO DOBRÁVEL? Por muitos anos, os celulares mantiveram uma forma plana com pequenas variações de design.

Com o tempo, as telas foram aumentando de tamanho, os recursos foram sendo incrementados e os fabricantes tiveram dificuldade em inovar em suas linhas de produtos.

Os dispositivos dobráveis buscam preencher essa lacuna de inovação. No entanto, eles devem ser considerados mais como uma moda ou tendência, que pode ser facilmente transportada em bolsas ou bolsos.

Em comparação com os modelos top de linha de qualquer marca, esses dispositivos sacrificam algumas funcionalidades – como câmeras com zoom e duração da bateria – em troca de um design com tela de plástico que pode ser dobrada ao meio.

Apesar disso, nada se compara à sensação de encerrar uma chamada telefônica dobrando o aparelho, como era possível nos anos 2000. No entanto, quem ainda faz ligações telefônicas hoje em dia?

0
Por favor deixe suas dúvidas e avaliações aquix